Pages

Descrevendo a Leucemia

Quer saber um pouco mais sobre Leucemia? Leia o post e entenda!

Células-Tronco - A Esperança

As células-tronco são uma das grandes esperanças da ciência e da medicina nos últimos tempos para pesquisas voltadas para curas para certas doenças. Saiba mais como isso pode te salvar lendo o post Células-Tronco - A Esperança!

A Caneta Inteligente

Que tal uma caneta que te ajude na hora de escrever, indicando os seus erros de escrita? Leia a matéria e saiba mais sobre essa caneta!

A Eletricidade

O que é a eletricidade? Você sabe de onde de fato ela vem? Veja no post A Eletricidade e descubra mais sobre ela

O Grupo dos Halogênios

Vai fazer vestibular? Veja esse post O Grupo dos Halogênios e arrebente na prova!

domingo, 25 de outubro de 2009

Os Incríveis Mundos Desconhecidos



Quem conhece V391 Peg b? GJ3021? WASP-154? Esses são nomes de planetas encontrados em torno de outras estrelas, como o nosso Sol, na mesma galáxia em que vivemos, a Via-Láctea.Os cientistas vão aos poucos, descobrindo cada vez mais mundos fora do nosso sistema planetário, até agora foram 300 descobertos desde 1991 e logo alguns terão seus nomes definitvos definidos, como alguns poucos já tem. Estimativas indicam que mais ou menos 30% das estrelas possuem planetas em seus domínios gravitacionais, mas David Bennet, caçador de planetas exímio diz que pessoalmente acredita que 50% delas possuem planetas em torno. O principal objetivo dos esforços dos astrônomos e outros cientistas na caça a novos planetas é o desejo de descobrir um dia, um planeta que se assemelhe a Terra, mas a tecnologia atual não é capaz de localizar e identificar planetas pequenos. Como há 100 bilhões de estrelas na nossa galáxia, então isso significa que há 50 bilhões de planetas(isso se for um planeta por estrela!) nessa galáxia! A maioria dos planetas descobertos até agora está longe de se assemelhar a Terra, tanto em questão de distância de sua estrela-mãe quanto em tamanho. A maioria deles são gigantes gasosos muito próximos de suas estrelas, ou seja são "júpiteres quentes" como são denominados. O fato de a maioria dos corpos identificados terem essas características, se deve a maneira como os planetas são identificados e localizados, o que revela também uma imensa limitação dos métodos. Telescópios coletam apenas evidências indiretas da presença de um planeta em torno de sua estrela por variações regulares da luz estelar. Os planetas pequenos casuam efeitos muito ínfimos no disco luminsos de suas estrelas-mães. Esse problema está para acabar, a Agência Espacial Americana e outras organizações ligadas ao setor estão desenvolvendo novas tecnologias para localizar planetas pequenos, exemplos são o Corot, satélite que vêm procurando exoplanetas deste tipo desde 2007 e a NASA tem planos para colocar em operação o telescópio Kepler, que orbitará o Sol e analisará 100 mil estrelas durante quatro anos, sendo que estes dois sistemas, tem maior precisão na medição e sensibilidade as mudanças nas emissões de luz das estrelas. Há um projeto, chamado de The New Worlds Observer, que empregará uma barreira que diminuirá o intenso ofuscamento da luz estelar que impede a boa visualização dos aspectos dos planetas em torno dessas estrelas. A primeira evidência de um planeta extrasolar surgiu em 1992, quando dois corpos estariam orbitando o pulsar (estrelas de nêutrons em alta rotação que se formam após a morte de uma estrela) PSR 1257, esses dois planetas eram o que restou dos núcleos rochosos de gigantes de gás cujas atmosferas foram ejetadas pelo evento supernova (explosão contínua que vem após a morte de uma estrela e antes de se formar a estrela de nêutros) anterior.

Alguns exemplos de exoplanetas descobertos até agora:

51 Pegasi b;
V391 Pegasi b;
Gliese 581 c;
Gliese 436 b;
HD 149026 b;
HD 209458 b ou Osíris(nome definitivo);
MOA-192 b;
PSR B1620-26;

Na próxima postagem haverá uma explicação sobre cada um deles!


Não deixem de comentar, até a próxima.

       

Nenhum comentário: