Pages

Descrevendo a Leucemia

Quer saber um pouco mais sobre Leucemia? Leia o post e entenda!

Células-Tronco - A Esperança

As células-tronco são uma das grandes esperanças da ciência e da medicina nos últimos tempos para pesquisas voltadas para curas para certas doenças. Saiba mais como isso pode te salvar lendo o post Células-Tronco - A Esperança!

A Caneta Inteligente

Que tal uma caneta que te ajude na hora de escrever, indicando os seus erros de escrita? Leia a matéria e saiba mais sobre essa caneta!

A Eletricidade

O que é a eletricidade? Você sabe de onde de fato ela vem? Veja no post A Eletricidade e descubra mais sobre ela

O Grupo dos Halogênios

Vai fazer vestibular? Veja esse post O Grupo dos Halogênios e arrebente na prova!

domingo, 14 de novembro de 2010

Os Carros Elétricos

Os carros elétricos são uma das grandes alternativas que o mundo possui, para se livrar de um futuro, em que o arrependimento não adiantará para mudar as coisas. É muito difícil distinguir um carro a gasolina de um carro elétrico pela aparência. Por fora, eles são praticamente iguais, principalmente pelo fato de um carro elétrico ser um carro a gasolina que foi convertido em justamente um carro elétrico, na maioria das vezes.
Os carros elétricos possuem vantagens sobre os carros a gasolina, as principais são o fato de não serem poluentes, garantindo a preservação do meio ambiente e, o fato de a energia elétrica para recarregá-lo ser muito mais barata por quilômetro rodado do que a gasolina. O custo da eletricidade é de R$0,50 por quilowatt/hora, isso quer dizer que para a recarga completa teremos o custo de R$6,00, isso porque são necessários recarregar o carro com 12 quilowatts/hora após rodar os 80Km de autonomia. O custo por quilômetro então é de R$0,075 apenas. A gasolina custa R$2,40 por litro e um carro faz aproximadamente 12 quilômetros por litro, então o custo por quilômetro da gasolina é de R$0,20.
Sendo assim, muito felizmente, o custo por quilômetro rodado com um carro elétrico é de apenas 37,5% daquele com um carro a gasolina.
A desvantagem dos carros elétricos são o custo de reposição das baterias, que é de R$4.000,00. É por isso que há o grande interesse nas células a combustível, estas diminuiriam o custo com a reposição de fontes de energia elétrica para o carro, e tornaria os carros elétricos definitivamente viáveis. O principal sistema de um carro elétrico é composto por um freio de mão que funciona como um interruptor primeiramente, composto ainda por um acelerador que transmite um sinal para um resistor variável, e este por si transmite este sinal para um regulador. Esse regulador recebe e controla o nível de corrente que recebe das baterias, e de acordo também com o sinal, transmite quantidades maiores ou menores para o motor que funciona em corrente alternada.
  As descrições que virão a seguir foram tiradas do endereço: http://carros.hsw.uol.com.br/carros-eletricos.htm
 
  Ao dirigir um carro elétrico, a única diferença perceptível
é o fato de ele ser bastante silencioso.
Sob o capô, porém, há muitas diferenças entre os carros a gasolina e os elétricos:
·             O motor a gasolina é substituído por um motor elétrico.
·             O motor elétrico recebe força de um regulador, cuja alimentação é feita por um conjunto de baterias recarregáveis.
  Com suas linhas de alimentação, sistemas de escapamento, mangueiras de refrigeração e filtros de ar, o motor à gasolina parece um projeto de encanamento. Já um carro elétrico é um projeto de instalação elétrica. 
O veículo que utilizaremos para essa discussão é mostrado aqui: 

Veja quais as modificações que o transformaram em um carro elétrico:
·             o motor a gasolina, o silenciador, o catalisador, o escapamento e o tanque de combustível, tudo foi removido;
·             toda a embreagem foi retirada. Já o câmbio manual foi preservado e travado na segunda marcha;
·             um novo motor de corrente alternada (CA) foi fixado ao câmbio com o uso de   uma placa adaptadora;
·             um regulador elétrico foi instalado para controlar o motor CA;
    ·            uma bandeja de baterias foi instalada no assoalho do carro;
·             cinqüenta baterias de chumbo-ácido de 12 volts foram colocadas na bandeja de baterias (dois conjuntos de 25, para gerar 300 volts CC);
·             motores elétricos foram colocados para movimentar equipamentos que usavam a força do motor a gasolina para isso: bomba de água, bomba de direção hidráulica e ar-condicionado;
·             uma bomba de vácuo foi instalada para o sistema de servoassistência do freio, que antes usava o vácuo do motor a combustão;
a alavanca do câmbio manual foi substituída por um interruptor, disfarçado de alavanca seletora de caixa automática, para marcha a frente e ré;
um pequeno aquecedor de água elétrico foi colocado para fornecer aquecimento para a cabine;
um carregador foi instalado para que as baterias fossem carregadas. Este carro em particular tem dois sistemas de recarga: o primeiro por uma tomada normal de 120 ou 240 volts, e o outro por recarga Magna-Charge de placa indutiva.
O medidor de combustível foi substituído por um voltímetro.
O restante no carro é normal. Ao entrar para dirigir, coloca-se a chave na ignição e gira-se a chave para a posição "ligado". Depois, posiciona-se a alavanca em "drive" (marcha à frente), pisa-se no acelerador e o carro anda com o desempenho de um carro a gasolina. Conheça algumas informações interessantes sobre esse carro:
·             A sua autonomia é de cerca de 80 km.
·             Ele vai de 0 a 100 km/h em cerca de 15 segundos.
·             São necessários cerca de 12 quilowatts/hora de eletricidade para carregar o carro após rodar 80 km.
·             As baterias pesam em torno de 500 kg e duram de 3 a 4 anos.

 O que faz um carro elétrico funcionar é a combinação de:
·             Motor elétrico
·             Regulador do motor
·             Baterias 
      O regulador recebe energia das baterias e a repassa ao motor. O pedal do acelerador está ligado a um par de potênciometros (resistores variáveis). Eles fornecem o sinal que avisa ao regulador quanta energiaa deve ser entregue. O regulador pode passar energia zero (carro parado), energia total (o motorista pisa fundo no acelerador) ou quaisquer níveis intermediários de energia. Neste carro, o regulador recebe 300 volts CC das baterias. Depois, converte-os em um máximo de 240 volts CA, trifásica, para enviar para o motor. Isso é feito através de grandes transistores, que rapidamente ligam e desligam a voltagem das baterias para gerar uma onda senoidal. Quando o acelerador é pressionado, um cabo do pedal se conecta com dois potenciômetros.