Pages

Descrevendo a Leucemia

Quer saber um pouco mais sobre Leucemia? Leia o post e entenda!

Células-Tronco - A Esperança

As células-tronco são uma das grandes esperanças da ciência e da medicina nos últimos tempos para pesquisas voltadas para curas para certas doenças. Saiba mais como isso pode te salvar lendo o post Células-Tronco - A Esperança!

A Caneta Inteligente

Que tal uma caneta que te ajude na hora de escrever, indicando os seus erros de escrita? Leia a matéria e saiba mais sobre essa caneta!

A Eletricidade

O que é a eletricidade? Você sabe de onde de fato ela vem? Veja no post A Eletricidade e descubra mais sobre ela

O Grupo dos Halogênios

Vai fazer vestibular? Veja esse post O Grupo dos Halogênios e arrebente na prova!

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Os Robôs: definição

Nesta nova postagem, será explicado o que são de fato aquelas máquinas que chamamos de robôs, como eles podem ser descritos. Procuro, portanto, uma forma de esclarecer a alguns, os detalhes e características que diferenciam um robô de outro tipo de máquina.

O que é um robô?

Muitos tem dúvidas do que é um robô de fato. A maioria das pessoas acredita que somente aquelas máquinas com duas pernas e dois braços e que falam conosco podem ser chamadas de robôs, mas não é bem assim. A própria definição básica de robô sofre variações entre os especialistas em robótica, mas podemos traçar aqui uma definição básica que é uma “média” das definições da maioria:

- Um robô é uma máquina sendo controlada por um computador que através deste, analisa dados físicos e químicos do ambiente percebidos por sensores da máquina, os processa e toma uma decisão sobre o que fazer de acordo com os dados apresentados. De acordo com essa decisão, o computador aciona e manipula componentes digitais e mecânicos do robô, para, fazer um novo processamento e verificação do ambiente, ou, uma ação física.
O computador portanto, irá controlar um sistema que é parte eletrônico e digital e parte mecânico para executar tais atividades.

Está aí a definição mais justa do que seria um robô, portanto, isso coloca na categoria de robô, aqueles mais simples, como por exemplo, os pequenos carros em miniatura controlados por computador e que se movimentam em um ambiente de acordo com o mapa que produzem deste e da programação inserida em sua memória de armazenamento de dados, entre outros detalhes. Os robôs com o estereótipo clássico, que são aqueles com características mais próximas dos seres humanos e muito inteligentes são chamados de humanóides e ainda estão em fase de aperfeiçoamento e testes para serem fabricados e vendidos em massa no futuro. Outros exemplos de robôs são helicópteros programáveis com diâmetro menor que um metro e que sobrevoam uma área de acordo com um programa de vôo pré-programado. Eles podem ser controlados a distância e constantemente, através de sensores e outros elementos para perceber o ambiente, capitam características do lugar onde estão, como tamanho de objetos, temperatura, entre outros e fazem um mapa detalhado do lugar e fazem uma análise deste.

Após a análise do mapa, ele já identificou se aquele lugar está no programa de vôo e então, ou segue em frente ou volta. Esses pequenos helicópteros são usados na agricultura, na exploração geológica de grandes áreas, na área militar e para a exploração e estudo de vulcões, entre outras atividades. Existem, portanto, diversos tipos de robôs que fazem suas atividades de forma diferente e para fins diferentes, além de aparências diferentes, entre estes há o destaque para os utilizados por telepresença e os braços robóticos
A telepresença é um sistema e a ação de controlar o robô, sentindo e vendo o que ele também sente e vê, isso é aplicado no caso de robôs que precisam fazer uma tarefa muito difícil, precisam fazer algo onde o homem não pode ir ou que necessitem fazer as atividades de acordo com um vasto conhecimento sobre algo.
Isso tornaria o uso do robô inconcebível em alguns casos porque exigiria muito espaço de armazenamento no HD entre outras necessidades difíceis. Exemplos de telepresença estão na Indústria do Petróleo e Gás e nas explorações aeroespaciais. No caso da exploração de petróleo e gás, são usados os braços mecânicos dos ROVs que vão até grandes profundidades onde o corpo humano não suportaria, e são movimentados pelo movimento dos braços do operador. Na exploração aeroespacial, é usado o robonaut, que faz trabalhos no exterior das naves espaciais que estão em órbita. Os braços robóticos são talvez, a forma mais antiga de robô de fato, eles são acoplados a bases nas quais deslizam e fazem operações bastante básicas, sua principal função é levantar elementos muito pesados. Voltando a falar de humanóides, existem aqueles com aparência de máquina e aqueles com aparência externa imitando um humano, com uma pele artificial, olhos e estruturas faciais como de humanos. 




Esses são chamados de andróides, mas assim como os outros humanóides, esses ainda são só praticamente protótipos ou objetos de uso restrito e são pouco evoluídos ainda. Os melhores inventores e engenheiros de robôs do mundo são, sem dúvida, os japoneses, mesmo assim, ainda existem centros universitários dos EUA onde os seus colaboradores e estudantes dizem que aquele é o centro da vanguarda em engenharia robótica do mundo. Para maior interação no assunto, há o vídeo da primeira parte de um programa do History Channel abaixo, apresentado por um phd em robótica, os links para as outras partes são: http://www.youtube.com/watch?v=3I5RHNjA0qM&feature=related e http://www.youtube.com/watch?v=Obqf7MD_vAc&feature=related eis o vídeo:




Na próxima postagem, vamos falar dos componentes mais importantes dos robôs e seu funcionamento em conjunto.

Nenhum comentário: