Pages

Descrevendo a Leucemia

Quer saber um pouco mais sobre Leucemia? Leia o post e entenda!

Células-Tronco - A Esperança

As células-tronco são uma das grandes esperanças da ciência e da medicina nos últimos tempos para pesquisas voltadas para curas para certas doenças. Saiba mais como isso pode te salvar lendo o post Células-Tronco - A Esperança!

A Caneta Inteligente

Que tal uma caneta que te ajude na hora de escrever, indicando os seus erros de escrita? Leia a matéria e saiba mais sobre essa caneta!

A Eletricidade

O que é a eletricidade? Você sabe de onde de fato ela vem? Veja no post A Eletricidade e descubra mais sobre ela

O Grupo dos Halogênios

Vai fazer vestibular? Veja esse post O Grupo dos Halogênios e arrebente na prova!

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Química Orgânica - Parte 4

Esta é a última postagem da série sobre a química orgânica, aqui irei falar sobre as funções químicas, que são grupos de tipos de compostos químicos específicos, diferentes de tudo que já foi mostrado aqui.
Esses compostos químicos não possuem somente átomos de carbono e hidrogênio em suas moléculas, possuem um terceiro tipo de átomo, que é o de oxigênio e é nele que está a diferença.

Os álcoois:

Os álcoois são compostos químicos orgânicos que apresentam uma cadeia carbônica ligada a uma hidroxila (OH) na extremidade (mais comum) ou em outras partes da mesma.
A hidroxila, como mostrado nos parênteses, é basicamente o conjunto formado por um átomo de oxigênio ligado a um de hidrogênio, que tende a se separar do resto da molécula em reações químicas, se tornando um conjunto iônico livre com carga negativa. Veja a esquematização simples de um álcool abaixo:


Os álcoois possuem nomenclatura semelhante a de alcanos, alcenos e alcinos com a diferença de que ao final, os nomes dos álcoois recebem a terminação de "ol". Um exemplo é o etanol, que muitas vezes, misturado a água, é utilizado como combustível automotivo. Veja a fórmula estrutural do etanol abaixo:

Como podemos ver, ele é etanol, por que possui dois átomos de carbono na cadeia principal (neste caso, a única) e por ser um álcool, ele tem o nome terminando com "ol". Se possuísse três átomos, seria chamado de propanol, se tivesse quatro, se chamaria butanol e assim por diante.
Abaixo temos a fórmula estrutural de um álcool com a hidroxila localizada no meio da cadeia:


Este composto exemplificado é o isopropanol ou álcool isopropílico, o sufixo "iso" é devido ao fato da hidroxila estar localizada no meio da cadeia. Os álcoois também podem ser nomeados da forma como: álcool etílico (etanol) ou álcool hexílico (hexanol) por exemplo.

Os fenóis:

Para entender o que é um fenol, deve se saber primeiro o que é um benzeno:

O que é um benzeno?

Um benzeno é um composto químico com cadeia circular com seis átomos de carbono ligados a hidrogênios da forma como mostrado abaixo:

A quantidade de átomos de hidrogênio não é suficiente para satisfazer a necessidade de cada átomo de carbono de se ligar a quatro outros átomos, portando existe uma dupla ligação que é "móvel" ao longo da cadeia, se mudando de carbono para carbono. Essa é a definição de benzeno. 
Os benzenos são classificados como compostos aromáticos. Recebem também a denominação de anel benzênico.

Pois bem, os fenóis são um anel benzênico ligado a uma hidroxila, como mostrado abaixo:


Fenol: possui o próprio nome do grupo e é o fenol mais simples.

Portanto, álcoois e fenóis possuem uma hidroxila ligada a um radical, nos álcoois a hidroxila (OH) está ligada a uma cadeia linear ou ramificada e nos fenóis o radical é um ou mais anéis aromáticos, também chamados de aneis benzênicos. O fenol dá origem a todos os outros fenóis por meio de reações orgânicas.

As formas mais simples de nomenclatura dos fenóis além daquela do fenol mais simples, estão descritas abaixo na figura:


Aldeídos e cetonas:

   Os aldeídos e as cetonas são compostos orgânicos que possuem a carbonila (CO) em sua fórmula estrutural que é um átomo de carbono ligado em dupla ligação com um átomo de oxigênio.
   Nos aldeídos a carbonila está em uma das extremidades da cadeia enquanto que nas cetonas a carbonila está localizada somente a partir do átomo de carbono secundário. 
   O aldeído mais simples é o formaldeído, também chamado de metanal ou aldeído fórmico:


  Existem então três formas de nomear um aldeído, primeiro o prefixo que descreve o número de carbonos seguido de "al", esse mesmo prefixo seguido de "al" + "deído" ou da forma aldeído + prefixo referente ao número de carbonos + ico ou óico.
  Veja o outro exemplo:

Propanal, aldeído propanóico ou propanaldeído

 Nas cetonas, a mais simples é a acetona também chamada de propanona ou dimetil-cetona, mostrando então as formas de nomear uma cetona:


dimetil-cetona(metil antes e depois da carbonila) ou propanona

Veja o outro exemplo:

Butanona ou metil-etil-cetona

   Se esse composto químico tivesse 5 carbonos e tivesse uma carbonila também no secundo carbono, seria 2-pentanona ou metil-propil-cetona, se tivesse o mesmo número de carbonos mas com a carbonila no terceiro carbono seria dietil-cetona ou iso-pentanona.

Os éteres:

   Os éteres são formados por um átomo de oxigênio ligado a dois radicais iguais ou não. 
   A nomenclatura dos éteres pode ser exemplificada com a figura abaixo:

   Este é o metoximetano, também podendo ser chamado de éter dimetilíco, abaixo está a figura de outros dois éteres:


   Esse é o éter dietílico ou etoxietano, portanto a nomenclatura dos éteres é composta de prefixo seguido de oxi + nome do maior radical ou éter + prefixo seguido de "ílico".

Os Ácidos carboxílicos:

   Os ácidos carboxílicos são assim chamados por possuirem em sua composição uma ou mais cadeias ou radicais ligados a uma ou mais carboxilas (COOH) que é a união de uma carbonila com uma hidroxila, ou seja, é um carbono ligado em dupla ligação com um oxigênio com pelo menos um radical e ainda também ligado a um outro oxigênio quando que esta ligado a um hidrogênio, veja a imagem abaixo:


 O nome desses ácidos orgânicos sempre são especificados como: ácido acompanhado de um nome formado pelo prefixo referente ao número de carbonos + "ico" ou "óico".

Ésteres:

  Os ésteres são originados dos ácidos carboxílicos também chamados de ácidos graxos, em que o hidrogênio da hidroxila foi substituído por um radical formando uma alquila (COOR, um carbono com dois oxigênios mais um radical). Os ésteres complexos são chamados de lipídios que são basicamente as gorduras. Abaixo temos exemplos de ésteres:



 Como se vê o nome de um éster pode ser montado combinando o nome de uma dessas espécies químicas mostradas ou outras com de outro grupo radical. Melhor especificando, se o primeiro radical mostrado, o metanoato, estivesse ligado a um radical metil (CH3), formaria-se o éster chamado como metanoato de metila, se este metil estivesse ligado a um propril (C3H7), teríamos o metanoato de propila.

Está encerrada aqui a série sobre químcia orgânica básica, muito obrigado por aqueles que acompanharam.

Até a próxima postagem.

Fontes: http://aenfermagemnaomedeixadormir.blogspot.com.br/2011/09/nomenclatura-de-compostos-organicos.html
http://pages.uoregon.edu/ch111/L31.htm
http://theuniversalmatrix.com/pt-br/artigos/?tag=benzeno
http://enfo.agt.bme.hu/drupal/node/4805