Pages

Descrevendo a Leucemia

Quer saber um pouco mais sobre Leucemia? Leia o post e entenda!

Células-Tronco - A Esperança

As células-tronco são uma das grandes esperanças da ciência e da medicina nos últimos tempos para pesquisas voltadas para curas para certas doenças. Saiba mais como isso pode te salvar lendo o post Células-Tronco - A Esperança!

A Caneta Inteligente

Que tal uma caneta que te ajude na hora de escrever, indicando os seus erros de escrita? Leia a matéria e saiba mais sobre essa caneta!

A Eletricidade

O que é a eletricidade? Você sabe de onde de fato ela vem? Veja no post A Eletricidade e descubra mais sobre ela

O Grupo dos Halogênios

Vai fazer vestibular? Veja esse post O Grupo dos Halogênios e arrebente na prova!

sábado, 17 de novembro de 2012

Sistema Digestório (Digestão) Parte 2


Continuando com o sistema digestório, vamos nesse post tratar do restante do sistema (intestinos) e dos órgão anexos que ajudam na digestão.
INTESTINO DELGADO
O intestino delgado é um tubo com pouco mais de 6 m de comprimento por 4 cm de diâmetro e pode ser dividido em três regiões: duodenojejuno e íleo.
É no intestino delgado que vai ocorrer a maior parte da digestão e absorção do que foi ingerido. 
O processo se inicia nessa primeira porção(duodeno). Lá, com auxílio do suco intestinal, as proteínas se transformam em aminoácidos e a maltose e alguns outros dissacarídeos são digeridos, graças a enzimas como a enteroquínase, peptidase e carboidrase.
No duodeno atua também o suco pancreático, produzido pelo pâncreas, que contêm diversas enzimas digestivas. Outra secreção que atua no duodeno é a bile, produzida no fígado e armazenada na vesícula biliar. Alguns nutrientes são absolvidos nessa seção, mais a maior parte deles é absolvidas no jejuno e íleo.
A digestão se encerra na segunda e terceira porção do intestino delgado( jejuno e íleo), pela ação do suco intestinal. 

São nelas que a maior parte dos nutrientes são absorvidos. 
Suas enzimas, maltase, sacarase, lactase, aminopeptidases, dipeptidases, tripeptidases, nucleosidades e nucleotidases permitem que moléculas se reduzam a nutrientes e estes sejam absorvidos pelos vasos sanguíneos do intestino, que passam ao fígado para serem distribuídos pelo resto do organismo com auxilio das vilosidades presentes no intestino. 
No final desse processo, o alimento passa a ter aspecto aquoso, esbranquiçado, e é chamado, agora, de quilo.


INTESTINO GROSSO
Mede cerca de 1,5 m de comprimento e é dividido em: ceco e apêndice vermiforme, cólon ascendente, cólon transverso, cólon descendente, sigmoide, reto e canal anal.
O intestino grosso é o local de absorção de água, tanto a ingerida quanto a das secreções digestivas. Uma pessoa bebe cerca de 1,5 litros de líquidos por dia, que se une a 8 ou 9 litros de água das secreções. 
Glândulas da mucosa do intestino grosso secretam muco, que lubrifica as fezes, facilitando seu trânsito e eliminação pelo ânus. 
Numerosas bactérias vivem em mutualismo no intestino grosso. 
Seu trabalho consiste em dissolver os restos alimentícios não assimiláveis, reforçar o movimento intestinal e proteger o organismo contra bactérias estranhas, geradoras de enfermidades.
O intestino grosso não possui vilosidades nem secreta sucos digestivos, normalmente só absorve água, em quantidade bastante consideráveis. Como o intestino grosso absorve muita água, o conteúdo intestinal se condensa até formar detritos inúteis, que são evacuados.

GLÂNDULAS ANEXAS
Pâncreas
O pâncreas é uma glândula mista, de mais ou menos 15 cm de comprimento e de formato triangular, localizada transversalmente sobre a parede posterior do abdome, na alça formada pelo duodeno, sob o estômago.
O pâncreas é dividido em três regiões: 
Cabeça, corpo e cauda. 
O pâncreas produz enzimas e hormônios.
 De acordo com suas funções é dividido em porção endócrina e porção exócrina.

Porção endócrina: 
É composta por grupos de células chamadas ilhotas pancreáticas, que possuem três grupos de células:
As que produzem glucagon, 
As que produzem insulina
As que produzem somatostatina. 
Porção exócrina: 
É porção exócrina do pâncreas participa na digestão secretando enzimas digestivas, através de estruturas chamas ácinos. 
Os ácinos pancreáticos estão ligados através de finos condutos, por onde sua secreção é levada até um condutor maior, que desemboca no duodeno, durante a digestão.

Fígado

fígado é o maior órgão interno, e é ainda um dos mais importantes.
O fígado é um órgão que atua como glândula exócrina (liberando secreções) e glândula endócrina (liberando substâncias no sangue e sistema linfático). Ele é a maior glândula do corpo humano, 
pesando cerca de 1,5 kg no homem adulto e na mulher adulta entre 1,2 e 1,4 kg. Tem cor arroxeada, superfície lisa e recoberta por uma cápsula própria. 


Suas funções são:
Secretar a bile, líquido que atua no emulsionamento das gorduras ingeridas, facilitando, assim, a ação da lipase.
Remover moléculas de glicose no sangue, reunindo-as quimicamente para formar glicogênio, que é armazenado; nos momentos de necessidade, o glicogênio é reconvertido em moléculas de glicose, que são relançadas na circulação; 
Armazenar ferro e certas vitaminas em suas células;
Metabolizar lipídeos;
Sintetizar diversas proteínas presentes no sangue, de fatores imunológicos e de coagulação e de substâncias transportadoras de oxigênio e gorduras;
Degradar álcool e outras substâncias tóxicas, auxiliando na desintoxicação do organismo;
Destruir hemácias (glóbulos vermelhos) velhas ou anormais, transformando sua hemoglobina em bilirrubina, o pigmento castanho-esverdeado presente na bile.

Com isso terminando o sistema digestório. Até a próxima.