Pages

Descrevendo a Leucemia

Quer saber um pouco mais sobre Leucemia? Leia o post e entenda!

Células-Tronco - A Esperança

As células-tronco são uma das grandes esperanças da ciência e da medicina nos últimos tempos para pesquisas voltadas para curas para certas doenças. Saiba mais como isso pode te salvar lendo o post Células-Tronco - A Esperança!

A Caneta Inteligente

Que tal uma caneta que te ajude na hora de escrever, indicando os seus erros de escrita? Leia a matéria e saiba mais sobre essa caneta!

A Eletricidade

O que é a eletricidade? Você sabe de onde de fato ela vem? Veja no post A Eletricidade e descubra mais sobre ela

O Grupo dos Halogênios

Vai fazer vestibular? Veja esse post O Grupo dos Halogênios e arrebente na prova!

sábado, 16 de agosto de 2014

Obrigado Penicilina

Os antibióticos de hoje são uma das maiores provas de nossa capacidade científica e de aperfeiçoamento. Muitos cientistas desenvolvem antibióticos cada vez mais poderosos por causa da resistência crescente das bactérias frente a esses remédios, mas nunca podemos nos esquecer do primeiro antibiótico a ser descoberto: a penicilina. 



Em 1920, Alexander Fleming, que trabalhava em um hospital de Londres, fazia experimentos com uma colônia de bactérias da espécie staphylococcus aureus, porém a sua observação da colônia foi frustrada quando fungos do tipo penicilluim notatum que se estabeleceram na placa das bactérias, mataram esses microorganismos.


O trabalho com as bactérias foi estragado, mas teve-se então uma grande descoberta: de que os fungos continham uma substância que foi a responsável pela morte das bactérias. 
Alexander deu o nome de penicilina a essa substância. A penicilina impede a produção de moléculas com cadeias de carbono que compõem as membranas das bactérias, o que faz com que essas membranas se partam quando as bactérias tentam se multiplicar. 


Quando Fleming e seus colegas tentavam obter mais quantidades de penicilina, uma fonte muito procurada para obter os fungos eram melões podres, mas isso não durou muito tempo, depois de só alguns meses, os laboratórios já estocavam o penicillium notatum em grandes tanques de fermentação para produção de grande quantidade de penicilina. Tudo isso foi estimulado também pela guerra, em que muitos soldados ficavam inválidos ou morriam por causa de seríssimas infecções. 

Fleming passou os outros muitos anos em tentativas frustradas de obter quantidades maiores de penicilina pura, até que durante os tempos da segunda grande guerra, dois colegas dele, Howard Florey e Ernst Boris, conseguiram juntar 1 grama da substânica. Alexander foi então agraciado com o título de sir pelo príncipe inglês e junto com Florey e Boris, ganhou o prêmio nobel de medicina em 1945
Nos anos seguintes, a produção de antibióticos conseguiram grandes feitos. Foram salvos cerca de 1,5 milhão de americanos nos anos seguintes, em casos de uso de antibióticos, segundo o Departamento de Saúde dos Estados Unidos.


E fica por aqui mais uma postagem. Até a próxima!

Fonte das informações: http://super.abril.com.br/saude/penicilina-438495.shtml
Fontes de imagens:
http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/modules/mylinks/viewcat.php?cid=16&letter=P&min=10&orderby=titleA&show=10
http://www.infoescola.com/farmacologia/penicilina/
http://www.uruguayeduca.edu.uy/Portal.Base/Web/verContenido.aspx?ID=202552

Nenhum comentário: